Home » destaque » Assembleia Geral aprova paralisação na Greve Nacional e luta por reajuste salarial

Assembleia Geral aprova paralisação na Greve Nacional e luta por reajuste salarial

Assembleia Geral aprova paralisação na Greve Nacional e luta por reajuste salarial

A Assembleia Geral dos Trabalhadores da Unicamp aprovou participação na Greve Nacional, 5 de dezembro, convocada pelas centrais sindicais contra a Reforma da Previdência. O objetivo é nos incorporarmos à agenda de luta organizada pelos movimentos sociais e sindicais da cidade, que denunciam os ataques à classe trabalhadora.

Para isso, de hoje em diante, faremos ações de agitação na Unicamp para discutir nossa incorporação na luta e garantirmos a construção de uma forte paralisação. E as unidades que tiverem condições de mobilização devem se reunir para organizar nosso movimento.

Além de participar do ato conjunto que acontecerá na tarde do dia 5, a categoria propôs levar aos organizadores da Greve Nacional da cidade a realização de uma manifestação pela manhã no centro de Campinas, caso haja paralisação dos condutores. Mas se nossa proposta não for aprovada pelos movimentos, faremos uma mobilização interna com manifestações de convencimento da categoria pela manhã cedo com intenção de recepcionar os trabalhadores conscientizando sobre a importância da paralisação e luta contra as reformas. E ainda um debate sobre a questão orçamentária da Unicamp e os impactos da Reforma da Previdência na vida dos funcionários celetistas e estatutários.

Vale destacar que hoje à tarde (30) está prevista reunião das centrais e movimentos sociais e sindicais para fechar a agenda de luta de Campinas. Ela será norteadora das nossas atividades dentro e fora da Unicamp.

 

Incorporação da discussão orçamentária

Do ponto de vista do orçamento, a assembleia reafirmou que o STU cobre negociação com o reitor em relação à proposta do sindicato apresentada à reitoria no começo de outubro. Reivindicamos que a cada trimestre de aumento da arrecadação do ICMS 25% dos valores seriam revertidos para a melhoria salarial, dos valores dos benefícios ou da carreira.

Foi aprovado exigir que no orçamento deste ano se tenha uma proposta de reajuste fixada pelo Consu, com base na deliberação do conselho de que a negociação de salário será referendada pelo órgão. Além de cobrar que essa discussão seja incorporada na reunião da CAD (Câmara de Administração) que será realizada na próxima terça-feira (5). Para pressionar por essa discussão a categoria realizará manifestação na CAD.

Ficou decidida a construção de um documento que estabeleça uma análise orçamentária que justifique a necessidade de reajuste diante da defasagem salarial. O documento será amplamente divulgado e apresentado à CAD.

 

PROGRAMAÇÃO APROVADA PELA ASSEMBLEIA

  • 6h – Mobilização de convencimento da categoria (caso não haja ato pela manhã na cidade) – na Unicamp.
  • 10h – Palestra sobre questão orçamentária da Unicamp e impactos da Reforma da Previdência (caso não haja ato pela manhã na cidade) – na Unicamp.
  • 14h – Manifestação na CAD cobrando incorporação de proposta de reajuste salarial no orçamento da Universidade – na Unicamp.
  • 17h – Ato Conjunto da Greve Nacional – Largo do Rosário, Centro de Campinas.

 

É importante que cada trabalhador discuta a organização dessa luta na sua unidade para garantir uma forte paralisação dentro e fora da Unicamp. E para construir nossa paralisação e fomentar a incorporação da discussão orçamentária, a assembleia indicou que o CR (Conselho de Representantes) se reúna e auxilie na mobilização das unidades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *